www.facebook.com/alelocomerbemtdb twitter.com/AleloBrasil

4 dicas para montar uma marmita saudável

Com uma rotina corrida, lotada de obrigações, horários apertados e cheia de compromissos, é comum que deixemos de lado alguns dos momentos mais importantes e gostosos do dia: a hora do almoço. Muitas das vezes, optamos por comer em restaurantes self service ou até mesmo em fast foods, pela praticidade e facilidade que almoçar fora nos proporciona. No entanto, fazer a sua própria marmita é uma das formas de valorizar a refeição, se alimentar melhor e é claro, economizar.

Com tantos benefícios é realmente difícil não ficar tentado a repensar a alimentação diária, não? E para te ajudar nessa missão, listamos abaixo 4 dicas para montar uma marmita saudável –  que vão desde a escolha dos ingredientes, passando pela preparação, até o momento de compor o prato. Então, vamos lá?

  • Faça uma escolha balanceada na hora de montar o prato

Como o almoço é uma das maiores refeições do dia, é importante que seja balanceada e composta por todos os grupos alimentares. São eles:

  • Fibras e vitaminas: encontradas nas frutas, verduras e legumes, é importante que grande parte do seu prato seja composto por esse grupo alimentar. O ideal é que ele represente metade do prato, reservando os outros 50% para os demais grupos alimentares.
  • Carboidratos: para garantir energia suficiente para enfrentar um dia lotado de trabalho, é necessário que esse grupo alimentar, considerado o ‘combustível do corpo humano’ também marque presença. Sugestão: batata doce, mandioca, mandioquinha, arroz ou macarrão integral, inhame e cará.
  • Proteínas: fundamentais para a formação muscular e bom funcionamento das funções do sistema nervoso, as proteínas – tanto vegetal, quanto animal – também precisam estar presentes. Sugestão: frango em iscas, carne moída, shimeji, shitake, peixe cozido etc.
  • Separe a marmita em porções para que o armazenamento não interfira ou estrague os alimentos

Para que a forma de armazenar não prejudique a qualidade dos alimentos – por exemplo, se você misturar a salada com uma massa muito quente, provavelmente ela estragará – divida sua marmita em pequenas porções colocadas em potinhos separados.

Então, divida e reserve um potinho para salada, por exemplo, um para a porção de carboidratos que pode ser composta pela dupla inseparável arroz e feijão, um para as proteínas como carnes e ovos, mais um para as frutas e outro para um mix de castanhas, por exemplo, para saciar aquela fominha da tarde de uma forma leve e saudável.

Outra dica importante, nesse caso, é deixar o tempero da salada, que normalmente é feito com uma misturinha de azeite e limão para colocar na hora da refeição. Caso contrário, ele irá acelerar o processo de decomposição das folhas, o que poderá interferir no sabor e na sua crocância, deixando-as murchas.

  • Prefira consumir frutas, verduras e legumes da época

Embora hoje, nós tenhamos acesso, praticamente durante todo o ano, a uma gama infinita de frutas, legumes e verduras, esses alimentos se desenvolvem melhor em determinados períodos do ano, de acordo com as condições de luminosidade, temperatura e umidade de cada estação.

Portanto, na hora de montar a sua rotina alimentar, prefira alimentos próprios de cada estação. Isso porque cada um deles cresce com mais facilidade em determinada época do ano, o que acaba por proporcionar uma quantidade maior de nutrientes e vitaminas, além de serem mais baratos, por serem encontrados em abundância. Dessa forma, você consegue ter uma alimentação variada. Afinal, prato colorido é sinônimo de prato saudável.

  • Prefira preparações cozidas, assadas ou grelhadas à fritas

Uma das formas de reduzir o consumo de gorduras prejudiciais ao funcionamento do corpo, responsáveis por aumentar as taxas de colesterol ruim, é substituindo as preparações fritas por grelhadas, assadas ou cozidas, principalmente quando se tratam de carnes.

Além de serem mais saudáveis, do ponto de vista nutricional, essas preparações também preservam mais o sabor por não contarem com o gosto pesado do óleo de cozinha. Lembre-se sempre de retirar a capa de gordura da carne vermelha ou a pele da branca quando estiver cozinhando.

 

Publicado : 11 de maio de 2018 as 15:23